domingo, 10 de março de 2019

Garanhuns comemora 208 anos de criação





Há 208 anos pelo clamor do povo de Garanhuns, o governador Caetano Pinto de Miranda solicitou ao Príncipe Regente do Brasil, Dom João, a autonomia política de nossa terra, fato esse que se concretizou em 10 de março de 1811 com a assinatura da Carta Régia que dotou Garanhuns de uma Câmara Municipal, composta de juízes e vereadores, e de um reduzido corpo de funcionários, com o poder-dever de cuidar dos assuntos de interesse meramente local e de oficiar, quando necessário, à Coroa. ESTAVA CRIADO O MUNICÍPIO DE GARANHUNS.







quarta-feira, 6 de março de 2019

Data Magna de Pernambuco - 202 anos da Revolução Pernambucana de 1817

06 de março - Data Magna 


Minha mente é crítica como os versos de Chico Science. Meu coração é maracatu, puro batuque de alfaias. Meu espírito reluz como um caboclo de lança em pleno canavial. Meus pés desafiam a gravidade e o impossível: são passos de frevo, a flertarem com sonhos esvoaçantes e multicoloridos. 

Meu sentimento é xodó, malemolente como um baião gonzagueano na voz de Seu Domingos. Sou História bonita de se contar. Sou Duarte Coelho, e Maurício de Nassau, e Zumbi dos Palmares, e Frei Caneca. Sou também dona Brites, e dona Ana Paes, e Simoa Gomes. Leonino, pertenço à Pátria Imortal dos Leões do Norte, à Nova Lusitânia brasileira. 

E hoje relembro nosso rugido de liberdade contra a opressão - nem o primeiro, nem o último. Fomos, somos e seremos resistência: Pernambuco não se dobra! Feliz pernambucanidade a todos! Ad Altiora Tendere!

Por Igor Cardoso
Sócio Fundador do Instituto Histórico, Geográfico e Cultural de Garanhuns - IHGCG


IHGCG, IAHGP e a Grande Loja Maçônica de Pernambuco prestam homenagem aos heróis de 1817:

Painel afixado na sede do Instituto Histórico,

Geográfico e Cultural de Garanhuns





segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019

GARANHUNS: 10 DE MARÇO E 04 DE FEVEREIRO




Em 1879, ainda durante o império, o que vigorava no Brasil era a tradição portuguesa, onde elevar um lugar em vila significava criar o município, em seu discurso na Assembleia Provincial no final de 1878, o Barão de Nazaré afirmava a criação do município de Garanhuns em 10 de março de 1811, sendo que a elevação a cidade foi uma homenagem honorífica feita pelo mesmo a sede do município que naquele momento era um dos mais promissores e desenvolvidos da província de Pernambuco.

Trechos do discurso do Barão de Nazaré sobre o projeto que elevou a Vila de Garanhuns a cidade:

“A Vila de Garanhuns, Sr. Presidente, é uma das mais antigas e notáveis desta província: Foi elevada em 1811...”

“A elevação à categoria de cidade da Vila de Garanhuns nenhum ônus virá aos cofres provinciais...”

Os trechos acima do discurso do parlamentar provincial, definem muito bem a condição de Garanhuns de ter sua pessoa jurídica criada em 1811, e o fato da elevação a cidade não gerar ônus aos cofres da província, confirma a autonomia de Garanhuns adquirida em 10 de março 1811, pois em 1879 Garanhuns já estava há muito tempo instalada, dotada de autonomia política exercida por uma Câmara de Vereadores, Comarca e um corpo de funcionários.

O 04 de fevereiro tem seus méritos sim, é uma deferência honrosa da Assembleia Provincial, um título honorífico, uma homenagem a sede do município, porém nada acrescentou a autonomia de Garanhuns, conquistada quase sete décadas antes, e em seu belo discurso o Barão de Nazaré deixa claro aos colegas deputados essas implicações.

A tirar por 1879 teríamos municípios que pertenciam a Garanhuns mais velhos do que a mesma, a exemplo de São Bento do Una, Buíque e Correntes, e igual a Garanhuns temos o exemplo do Recife que comemora seu aniversário na data da criação da VILA ARRECIFE DOS NAVIOS (que era apenas um lugarejo habitado por mareantes e pescadores) em 12 de março de 1537, e só 286 anos depois foi elevada à categoria de CIDADE DO RECIFE em 1823.

Até 1978 Garanhuns comemorou seu aniversário em 10 de março, comprovados por documentos assinados por historiadores e prefeitos da época, a exemplo de Luís Souto Dourado, Luis da Silva Guerra e Alfredo Leite Cavalcanti, e graças aos esforços dos pesquisadores e historiadores do Instituto Histórico, Geográfico e Cultural de Garanhuns e a municipalidade, tivemos nossa “Restauração Garanhuense” em 2014, voltando nossa Data Magna para 10 de março. Parabéns Garanhuns pelos seus 207 anos! Viva a honra de 04 de fevereiro de 1879!

Por Maxwell Bento
Diretor Financeiro do IHGCG

FONTE DO DISCURSOS DO BARÃO DE NAZARÉ: Jornal O Monitor







quarta-feira, 21 de novembro de 2018

PALESTRA SOBRE SÃO BENTO E OS MONGES DE GARANHUNS SERÁ MINISTRADA NO INSTITUTO HISTÓRICO E GEOGRÁFICO




A presidente do Instituto Histórico, Geográfico e Cultural de Garanhuns, Ivonete Xavier, convida para palestra com Dom Anselmo OSB do Mosteiro de São Bento, nesta sexta-feira, 23 de novembro, às 19h na sede do IHGCG



sexta-feira, 9 de novembro de 2018

Presidente da CEPE, Ricardo Leitão, profere palestra no Instituto Histórico e Geográfico de Garanhuns



A presidente do Instituto Histórico, Geográfico e Cultural de Garanhuns, Ivonete Xavier, convida para palestra com o presidente da CEPE Ricardo Leitão, nesta sexta-feira, 09 de novembro, às 19h na sede do IHGCG



terça-feira, 5 de junho de 2018

GEORGE CABRAL FAZ PALESTRA SOBRE A REVOLUÇÃO DE 1817 NO INSTITUTO HISTÓRICO, GEOGRÁFICO E CULTURAL DE GARANHUNS

George Felix Cabral coordenou os trabalhos do Bicentenário
da Revolução Pernambucana de 1817, que têm ocorrido
em todo o Estado desde o dia 06 de março de 2017.



Nesta sexta-feira, dia 08 de junho, a partir das 18h, o Instituto Histórico, Geográfico e Cultural de Garanhuns (IHGCG) recebe o doutor em História, professor da UFPE e presidente do Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico Pernambucano (IAHGP), George Félix Cabral de Souza, para a realização da palestra "Por que relembrar a Revolução de 1817?". O evento, que é aberto ao público e tem entrada gratuita, ocorrerá no casarão-sede do IHGCG, à Praça Dom Moura, nº. 44, Centro (ao lado do antigo Fórum).


O palestrante é doutor em História pela Universidade de Salamanca, na Espanha, com estágio pós-doutoral na École des Hautes Études en Sciences Sociales, na França, e realiza, em sua atividade como professor do Programa de Pós-Graduação em História da UFPE,  pesquisas na área de História Colonial, com ênfase nos seguintes temas: poderes locais, culturas políticas, elites e comércio na América colonial. Além disso, como presidente do IAHGP, coordenou os trabalhos do Bicentenário da Revolução Pernambucana de 1817, que têm ocorrido em todo o Estado desde o dia 06 de março de 2017.

A palestra desta sexta será o último evento da programação especial do Instituto Garanhuns em homenagem ao Bicentenário, inaugurada com a conferência “1817: O Espaço da Revolução”, pelo professor e ex-presidente do IAHGP, José Luiz Mota Menezes, em maio de 2017. As atividades prosseguiram com o descerramento, em agosto de 2017, do painel de azulejos dedicado “À Memória dos Heróis da Revolução", oferecido ao Instituto Garanhuns pelo IAHGP, com o apoio da Grande Loja Maçônica de Pernambuco; e com a palestra "A Revolução de 1817 em Garanhuns", proferida pelo escritor e sócio-fundador do IHGCG, Ígor Cardoso, na Sessão Magna da Câmara de Vereadores em homenagem ao último Dia de Garanhuns (10 de março de 2018).